Portal da Cidade Louveira

Vacina

Louveira assina termo para consórcio para comprar vacinas direto de fabricante.

Articulação da Frente Nacional de Prefeitos prevê negociação com laboratórios do Brasil e do Exterior como alternativa para imunização

Postado em 02/03/2021 às 13:37 |

A Prefeitura de Louveira assinou nesta terça-feira (2) um documento de manifestação de interesse para adesão ao consórcio público que está sendo criado por estados e municípios para negociar a compra de vacinas contra a covid-19 diretamente dos fabricantes no Brasil e no Exterior.


O consórcio é uma articulação da Frente Nacional de Prefeitos (FNP) para oferecer uma proposta alternativa de aquisição de vacinas diante da lentidão dos processos de compra do Governo Federal e da falta de doses suficientes para a população.


Até o momento, dez vacinas estão aprovadas e disponibilizadas no mundo, e outras 240 estão em testes. Mas apenas duas (Coronavac e AstraZeneca) estão sendo aplicadas no Brasil. Já há tratativas iniciadas por alguns municípios brasileiros com empresas como Pfizer e Janssen, que têm vacinas prontas, e essas negociações podem ser absorvidas pelo consórcio, caso ele seja criado.


Após aderir à proposta, as prefeituras devem enviar projetos para as Câmaras Municipais avaliarem a medida e aprovarem o processo. A regulamentação do consórcio se baseia na Lei Federal 11.107, de 6 de abril de 2005, e no Decreto Federal 6.017, de 17 de janeiro de 2007.


A possibilidade de comprar as doses diretamente surgiu na última terça-feira (23), quando uma decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) permitiu a estados e municípios que possam adquirir as vacinas diretamente dos fabricantes para imunizar seus moradores.


A decisão do STF prevê que essas compras diretas sejam autorizadas em três situações que considera excpecionais: descumprimento, pelo Governo Federal, do Plano Nacional de Imunização (PNI); insuficiência de doses previstas para vacinar toda a população do País, e para os casos em que a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) não conceda autorização em 72 horas para uso de imunizantes aprovados por agências reguladoras de outros países.


Atualmente, o Plano Nacional de Vacinação imunizou apenas 3% da população brasileira devido à reconhecida falta de doses suficientes para vacinar a população.


Em entrevista ao site da Frente Nacional de Prefeitos, o secretário-executivo da entidade, Gilberto Perre, disse que a intenção do consórcio não é competir com o Ministério da Saúde na compra de vacinas, mas de somar esforços. “Os desafios são grandes, mas a proposta não é contrapor o governo em relação às vacinas que já estão em contratação, é somar esforços com as que têm potencial”, disse.


Já o presidente da entidade, Jonas Donizette, ex-prefeito de Campinas, disse que a medida é uma garantia para os municípios. “O consórcio não é para comprar imediatamente, mas para termos segurança jurídica no caso de o PNI não dar conta de suprir toda a população. Nesse caso, os prefeitos já teriam alternativa para isso”.


A FNP reúne as 412 cidades com mais de 80 mil habitantes, mas os municípios menores também poderão participar do consórcio. Até o momento, mais de 100 municípios já indicaram intenção de participar, segundo o portal da FNP.


Na última semana, a Prefeitura de Louveira fez um pedido formal ao Instituto Butantan para compra de 40 mil doses da vacina Coronavac, diretamente, sem intermediação dos governos estadual ou federal. O objetivo é imunizar, neste primeiro momento, todos os moradores da cidade com idades entre 50 e 80 anos contra a covid-19, além dos profissionais da Secretaria de Educação.


"Estamos nos preparando para vacinar toda a nossa população, por comta própria, de o cenário permitir que os municípios façam isso. A decisão do Supremo vai nesse caminho. Já fizemos o pedido ao Butantan e estamos conversando com a Frente Nacional de Prefeitos para estarmos prontos se isso de fato por possível", disse o prefeito de Louveira, Estanislau Steck.


Ainda não houve uma resposta do Butantan. Louveira possui hoje 19.615 moradores na faixa etária entre 50 e 80 anos e eles receberiam as duas doses se as 40.000 vacinas chegarem.


Até o momento, a população com mais de 90 anos já foi vacinada. Nesta semana, os moradores com mais de 80 anos estão sendo imunizados, com agendamento, em seis unidades de saúde da cidade.

Fonte:

Receba as notícias de Louveira no seu WhatsApp.
Clique aqui, é gratis!

Deixe seu comentário